Altino Farias Bar das Letras

Salvei o Dia!

A porra do dia começou atravessado. Acordei mais tarde do que deveria, saí às carreiras, abotoando a camisa e fechando as calças no hall do prédio. Apressado, manobrei o carro e… “Cacete!”, havia esquecido o celular. Deixei para lá, não havia tempo para voltar.

Duas quadras percorridas e meu intestino, enfim,  acordou. Cólicas. “Que saco!”, pensei. Detesto sentir que estou cheio de fezes. Um carro surgiu de uma transversal e entrou bem na minha frente… Se arrastando tal tartaruga. “Filho de uma puta!”, disse em pensamento.

Nem sete e trinta e já havia um “cacete”, um “que saco” e um “filho de uma puta”. Além das cólicas. O dia prometia.

Diferente do início mal sucedido, a manhã no trabalho foi normal. Logo que cheguei estava impaciente, mas depois de uma boa cagada, as coisas foram se ajeitando. Pensando ter superado os contratempos, fui ao banco fazer uns pagamentos no caixa eletrônico.

Era sexta-feira e a bateria de caixas estava lotada. Escolhi a fila olhando para o que as pessoas levavam nas mãos. Tinha pressa. Ficar atrás de mulher é sempre um risco, ninguém sabe o que elas poderão sacar de suas bolsas que parecem não ter fundo.  Entrei numa fila onde havia dois rapazes. Evitei entrar na vizinha, na qual estava uma mulher com muitos papéis na mão, que  julguei serem pagamentos a fazer. Errei, eram receitas e a mulher foi super-rápida, enquanto os rapazes… Acabei mudando de fila, e, lógico, os rapazes foram embora e eu fiquei mais um pouco para deixar de ser idiota.

Atrasei-me de novo. ”Merda!”. Para minha surpresa e satisfação a tarde no trabalho mais uma vez foi tranqüila. Agradável, até. Ao fim do expediente fui encontrar os amigos no bar de sempre. Ou melhor, tentei, pois os engarrafamentos na cidade estavam de tirar o juízo de qualquer um. O ritual das filas que não andam se repetiu. Pensei comigo mesmo: “Quer ver esse caralho andar? É só eu passar para a outra.”, e mudei de faixa, fazendo a que abandonara deslizar suavemente.

Após algumas tentativas de chegar ao destino com maior brevidade, desisti. Parei num posto de combustíveis, abaixei a capota do meu conversível antigo, selecionei músicas do Elton John, comprei umas cervejas e… Bye, bye cacetes, cólicas, sacos, filhos de puta, merdas, caralhos, estresse. Salvei o dia!

Você Também Pode Gostar

Sem Comentários

    Deixe uma Resposta