Mesa de Bar

Os meus quarenta anos de continuado pisoteio pelos terrenos etílicos me credenciam  a defender a tese, segundo a qual, mesa de bar não seja local apropriado para os que pretendem passar a noite resolvendo os problemas do mundo ou desfilando azedumes pessoais.

Entretanto, como ocorre com todo ponto de vista consistente, aqui também há controvérsias; alguns contestadores lhe apontam o caráter liberal que contemple o  pleno acolhimento de toda sorte de assuntos – conquanto seja  território democrático por excelência.

Mas cá para nós, estou muito mais propenso a acreditar que ela tenha sido divinamente projetada para o trato das amenidades. E as amenidades não são, senão, bornais de ouro, porque põem água fria na fervura da vida.

Mesa de bar tem um pé na gandaia. Só lhe caberá, com mais propriedade, o brado feliz dos que sabem reverenciar a boa amizade e deixar ascender os bons fluidos;  além, é claro, de viajar com a música para aonde ela for.

Paulo Roberto Coelho Ximenes

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

QUEM ESCREVE

ALTINO FARIAS

Brasileiro, 57 anos, curto carros antigos, boa música, praia e encontros com amigos para “bebemorar” a vida. Discutir e expressar ideias são grandes prazeres, e a escrita tem o dom de dar forma permanente ao que se pensa.

Os comentários estão desativados.