Bar das Letras Dejoces Baptista Júnior

Lua Cheia

Fritou três tainhas frescas, fez carpaccio de maçã temperado com sumo de limão e, sem derramar, encheu uma meiota com empalhada. Só de cueca, surrada, abancou-se na varanda do seu claustro, no Tibete, em reverência a lua cheia, o voo das rasga-mortalhas, o uivo dos cães e o silêncio humano. Quando adormeceu, Melodia ainda tocava na radiola.

Você Também Pode Gostar

Sem Comentários

    Deixe uma Resposta