Bar das Letras Dejoces Baptista Júnior

LUA CHEIA

Fritou três tainhas frescas, fez carpaccio de maçã temperado com sumo de limão e, sem derramar, encheu uma meiota com empalhada. Só de cueca, surrada, abancou-se na varanda do seu claustro, no Tibete, em reverência a lua cheia, o voo das rasga-mortalhas, o uivo dos cães e o silêncio humano. Quando adormeceu, Melodia ainda tocava na radiola.

Sonhou estar candidato a vereador pelo partido nacional socialista. Eleito, alegando ter o coco a mesma importância econômica que já tiveram a laranja de Russas, o algodão do sertão e as bananas de Uruburetama, instituiu mais um feriado em homenagem ao dito cujo alcunhado de O Dia do Coco. E mais: Projeto Água Mole em Casca Dura. Todo cidadão inscrito no bolsa família terá direito ao vale Coco para ir à praia da Barra do Ceará todo domingo; Troféu CocaDaBoa, Homenagem aos imortais do poder judiciário, guardiões da moral e ética alencarina; Projeto Quebra Queixo,
todo meliante que não estiver filiado a qualquer partido, legalizado, será lapidado pelo povo com quengas de coco, na Praça do Ferreira. Arak acordou assustado. Vestiu o calção de banho e foi pedir proteção a Iemanjá.

Você Também Pode Gostar

Sem Comentários

    Deixe uma Resposta