Bar das Letras Dennis Vasconcelos

Enigmas da Noite

Raiou o dia. Em párvoa agonia via a noite passar em claro.
Noite lenta… Muitos pensamentos vinham com presságios do porvir.
Passam instantes; as vezes torturando e as vezes lambuzando de prazer.
A escuridão lá fora metia medo. Até mesmo o assovio do cantor grilo se parecia uivo do lobo malvado.
Nos olhos areia do assoreamento do cansaço de horas abertos ou arregalados dos pensamentos de assombro.
Finalmente dia e coragem. É levantar ao banho frio para mais um dia de correria, enterrando na catacumba do sol, a escuridão da noite mal passada.
Ao sol, lá fora, parece que à noite as coragens ficam fracas e os medos mais fortes.
São enigmas da escuridão.

Dennis Vasconcelos
11/3/2011

Você Também Pode Gostar

Sem Comentários

    Deixe uma Resposta