Bar das Letras Martiniano Bezerra Neto

A Namorada que Sonhei

Oh, vó! Eu precisava te dizer algumas palavrinhas hoje, palavrinhas que te soassem bem aos ouvidos e que te fizessem saber, aliás, te confirmassem os meus sentimentos em relação a você.

Estamos hoje a comemorar os teus 60 anos de existência, 37 dos quais trilhando juntos a mesma estrada, transpondo todos os obstáculos que se interpõem entre nós na consecução dos nossos objetivos, na realização do  nosso plano de vida… Constituir uma família, que fosse sobre tudo digna e bela, oferecendo nossa contribuição na formação de bons cidadãos capazes de influir na melhora desse país tão querido, adotado por você em boa hora.

Essa parte do plano minha vó, felizmente conseguimos cumprir, temos um trio que nos completa, o qual nos legou até o presente 3 netinhos que nos haverão de perpetuar, e na medida do possível nos melhorar como pessoas, como cristãos e como patriotas de modo a deixarmos as próximas gerações, na medida que isso depender de nós o Brasil com o qual sonhamos, vó.

De resto vó, não sei se conseguiremos cumprir o plano que estabelecemos quando me namoravas, (risos) quando me falavas que haveríamos de envelhecer juntos… E um dia desfilarmos os dois bem velhinhos de mãos dadas.

Tudo isso vó, porque fico hoje a me perguntar quanto tempo falta para isso acontecer, quando é, como é que se fica velhinho? Se hoje nos teus 60 aninhos te vejo com esse viço, esse  vigor que continuam a te revelar ante os meus olhos como A NAMORADA QUE SONHEI.

 

Martiniano Bezerra Neto

Você Também Pode Gostar

Sem Comentários

    Deixe uma Resposta